Instalando Postgresql no Mavericks
Dec 31, 2013
3 minutes read

Aproveitando o fim de ano, decidi realizar uma fresh install do Mavericks no meu Macbook.

Enquanto instalava minhas ferramentas de trabalho, tive um pouco de dificuldade para instalar o PostgreSQL. Não lembro exatamente como havia feito anteriormente, por isso decidi escrever aqui como foi o processo dessa vez.

Homebrew

Bom, (quase) tudo que instalo no Mac, faço através do homebrew. Se você ainda não usa, deveria.

A instalação do homebrew deve ocorrer normalmente, sua página contém bastante informação caso ocorra algum problema. Após a instalação, chegou a hora de instalar o nosso querido banco de dados. Através do homebrew, fica fácil de achar e instalar:

# podemos começar pesquisando pelas "formulas" disponíveis no homebrew:

$ brew search postgres
postgres-xc  postgresql
homebrew/versions/postgresql8	  homebrew/versions/postgresql9	    homebrew/versions/postgresql91    homebrew/versions/postgresql92

Entre as várias fórmulas disponíveis, a que queremos é a postgresql mesmo. Para termos certeza do que se trata, basta rodar o comando info do homebrew:

$ brew info postgresql
postgresql: stable 9.3.2 (bottled)
http://www.postgresql.org/

# (...) omitindo outras informações

Uma das vantagens do homebrew, é que as fórmulas podem ser facilmente visualizadas, caso você queira saber o que acontece por trás dos panos. O comando info retorna aonde está hospedada a fórmula. No caso do postgresql, está aqui. No Github do homebrew, é possível ver todas as fórmulas.

Tudo certo, hora de instalar! Mais uma vez, uma tarefa fácil:

$ brew install postgresql

A instalação deve ocorrer normalmente também, dependendo da configuração da sua máquina, o processo pode demorar alguns minutos.

PostgreSQL

Após a conclusão da instalação, hora de configurar o postgresql. Não há nada de muito especial, os passos realizados aqui funcionam bem para as minhas necessidades.

O primeiro passo é setar a variável de ambiente PGDATA, que contém os arquivos de configuração do cluster do banco. Caso você tenha feito a instalação sem nenhuma configuração adicional, este diretório deve estar em /usr/local/var/postgres.

Adicione a seguinte linha no seu arquivo de configuração de bash: export PGDATA="/usr/local/var/postgres".

Eu uso o oh-my-zsh, no meu caso o arquivo de configuração fica em ~/.zshrc

Toda vez que você inicializar o postgres, ele vai procurar por essa variável de ambiente. O comando utilizado para inicializar o banco é pg_ctl. Caso você não tenha configurado a variável de ambiente, é preciso passar a opção -D para o comando:

# inicializa o banco
pg_ctl start -D /usr/local/var/postgres

# pára o banco
pg_ctl stop

Por default, o log do servidor será exibido no buffer do seu terminal, uma das maneiras de evitar isso, é indicando um arquivo para o output do log, através da opção -l:

# inicia o banco setando arquivo de log externo
pg_ctl start -l /usr/local/var/postgres/log

Por fim, você pode criar aliases para iniciar e parar o servidor. Dentro do seu arquivo de configuração de shell:

alias postgres_start="pg_ctl start -l /usr/local/var/postgres/log"
alias postgres_stop="pg_ctl stop"

Assim, os comando postgres_start e postgres_stop estarão disponíveis em qualquer seção do terminal.

Sei que ainda existe a opção de inicialização automática do banco, quando você loga no SO, mas, particularmente, não gosto muito deste approach.


Back to posts


comments powered by Disqus